Redação Dissertativa


SEPARAÇÃO SEM DESPEDIDA

Fonte: O Dia, http://odia.ig.com.br/portal/, Jacqueline Resch


No mundo do trabalho, acabou o amor. E agora? Para quem é deste século, é difícil acreditar que os tempos modernos de Chaplin eram pura realidade e não cenas de ficção. Passaram-se 30 anos e, assim como o cotidiano, o mundo das estruturas organizacionais teve que se mexer. E lá fomos nós... Baby boomers, atropelados pela globalização e pela tecnologia, lutando para se adaptar, nem sempre com sucesso.

No tempo deles, o mundo bom era o mundo seguro, com emprego para toda uma vida e fronteiras claras entre o trabalho e a vida pessoal. Para seus filhos, o trabalho vale a pena se casado com propósito e é certo que mudam de emprego quando o entusiasmo arrefece, as oportunidades de desenvolvimento esgotam ou a admiração pelos chefes se esvai. A lealdade foi trocada pela empregabilidade. Nada de mau!

Excesso de hierarquia está fora de moda e os profissionais, antes valorizados por obediência e submissão, hoje têm pouco lugar no mercado, ávido por gente com iniciativa, capaz de atuar com autonomia e contribuir para o negócio. São talentos raros, difíceis de encontrar, e, para mantê-los, as empresas devem cuidar. Ainda assim, por mais que cuidem de seus colaboradores, a vida dinâmica faz com que mudem de lugar. Quando aqueles em quem acreditamos e investimos se vão, é dureza. Mas, assim como nos casamentos, quando os interesses já não convergem, é hora de romper. Convém deixar o outro absorver a decisão e não sair simplesmente batendo a porta. Rituais de despedida são importantes para todos partirem o mais inteiros possível.

Assim também é na vida profissional. Sair bem de uma empresa tem um enorme valor. Ninguém deveria ser desligado subitamente, sem conversas prévias sobre desempenho, comportamento e sem apoio no momento da transição. Nenhum profissional deveria romper sem dar tempo ao empregador, para organizar o trabalho, buscando um substituto. Como o melhor dos mundos nem sempre acontece, acordos são essenciais para proteger interesses de ambos os lados.

A cada dia escuto histórias de profissionais que pedem demissão alegando que precisam deixar seus empregos HOJE. Estranho... Que empregador é este que, colocando a faca no pescoço do profissional, estimula que ele despreze princípios mínimos de ética? Que profissional é este, incapaz de negociar prazos que permitam ao seu atual empregador se organizar? Estar atento aos seus interesses é inconciliável com respeitar as necessidades do outro, que até ontem era seu parceiro, ou, ainda que seja, seu ganha-pão?

Fim

Voltar ao Índice 2


Redação dissertativa 933: Tema: mundo do trabalho.Tópicos: redação dissertativa sobre estrutura organizacional, globalização, tecnologia, sucesso, redação dissertativa sobre emprego no Brasil, trabalho, vida pessoal, entusiasmo na profissão, redação dissertativa sobre empregabilidade, hierarquia, profissional, obediência, submissão, redação dissertativa sobre mercado de trabalho, redação dissertativa sobre vida profissional, desempenho profissional, organização do trabalho, princípios de ética.



Qualquer texto, publicado nesta seção, visa a, tão-somente, servir de modelo de redação dissertativa para alunos, pessoas que se preparam a um vestibular ou concurso, ou mesmo para aquelas cujo objetivo é o seu deleite e aprendizagem da arte de redigir. Portanto, os temas não se evidenciam pela cronologia, mas sim como paradigmas de exposição de ideias e opiniões. Assim, uma redação dissertativa, que se refere a um assunto desatualizado, pode ser um excelente exemplo para se redigir sobre o respectivo tema mesmo em outra época.