Redação Dissertativa


O 20 DE NOVEMBRO É DIA DE RESGATE HISTÓRICO E REFLEXÃO

Fonte: Gazeta do Povo, Saul Dorval da Silva


Em seu editorial de 10 de março, a Gazeta do Povo – um patrimônio da comunicação paranaense e brasileira, um veículo de princípios democráticos e que tem como característica o respeito às diferenças em seus diversos pontos de vista – atribuiu ao movimento negro certas situações e posições que gostaríamos de esclarecer.

O Conselho Municipal de Política Étnico Racial (Comper), através de sua executiva e membros, em reunião ordinária em fevereiro, deliberou e aprovou a campanha educacional “Diga não ao racismo e a qualquer forma de discriminação”, lançada em 8 de março, com material gráfico que está sendo distribuído em toda a cidade, explicando as diferenças entre racismo, discriminação, injúria racial, preconceito e suas penalidades previstas em lei. A campanha não tem nada a ver com a Associação Comercial do Paraná, cuja executiva, aliás, nos recebeu com cordialidade e responsabilidade, e inclusive temos alguns posicionamentos convergentes em relação a outros assuntos.

Jamais este presidente disse, em qualquer veículo de comunicação impresso, radiofônico ou televisivo, nem em site, que tais membros ou instituições são “racistas”. O que nós colocamos e argumentamos com a ACP foi por que uma instituição centenária, nesse tempo todo, não questionou outros feriados criados no âmbito municipal? É a pergunta que não quer calar: por quê? Todos que me conhecem e nos acompanham há anos sabem que não seríamos antidemocráticos a ponto de achar que instituições e pessoas não possam ser livres para manter posições contrárias.

No começo do mês de abril, somente depois do término da campanha, o Comper fará manifestação, em conjunto com a sociedade civil organizada, contra a atitude tomada pela ACP, no tocante à ação judicial contra o feriado. Isso se chama responsabilidade com o compromisso público, maturidade e democracia, até porque a maioria dos curitibanos aprova e quer o feriado da Consciência Negra em 20 de novembro, dia do herói brasileiro Zumbi dos Palmares.

O feriado é um resgate histórico e reflexivo do que foram 350 anos de escravidão, além de favorecer o crescimento de outras áreas da economia do município, Região Metropolitana e Litoral, como lazer, turismo, gastronomia e entretenimento. A pesquisa publicada no dia 4 de fevereiro pela Gazeta do Povo, realizada pela Paraná Pesquisas, informa que 44% dos munícipes concordam que a data seja feriado; 40% concordam com a criação do dia, mas que não seja feriado; 15% não concordam com a criação nem do dia, nem do feriado; e 1% disse não saber. A capa do jornal dizia “Com 81%, curitibanos aprovam o dia da Consciência Negra”, e essa é a informação correta; o Paraná TV 2.ª edição, da RPCTV, fez pesquisa por telefone com os curitibanos, com 51% de aprovação, sendo que a comemoração no Paraná já existe por lei desde 2007.

A mesma ação judicial imposta pela ACP foi realizada por um sindicato em São Paulo. A Justiça paulista entendeu que ela é constitucional, baseando-se no Estatuto da Igualdade Racial e no artigo 215 da Constituição. A ACP alega que o prejuízo é de R$ 160 milhões, mas ao somar esse valor ao restante dos dias do ano verificamos que o lucro chega a mais de R$ 40 bilhões! Deixamos mais uma pergunta: qual é, afinal, o prejuízo?

Fim

Voltar ao Índice

Redação dissertativa 858: Tema: igualdade racial.Tópicos: redação dissertativa pronta, consciência negra, princípios democráticos, movimento negro, política étnico racial, campanha educacional, racismo, discriminação racial, injúria racial, preconceito racial, manifestação pública, sociedade civil organizada, compromisso público, maturidade, democracia, Zumbi dos Palmares, escravidão.



Qualquer texto, publicado nesta seção, visa a, tão-somente, servir de modelo de redação dissertativa para alunos, pessoas que se preparam a um vestibular ou concurso, ou mesmo para aquelas cujo objetivo é o seu deleite e aprendizagem da arte de redigir. Portanto, os temas não se evidenciam pela cronologia, mas sim como paradigmas de exposição de ideias e opiniões. Assim, uma redação dissertativa, que se refere a um assunto desatualizado, pode ser um excelente exemplo para se redigir sobre o respectivo tema mesmo em outra época.