REDAÇÃO DISSERTATIVA, COMO FAZER UMA REDAÇÃO PARA O VESTIBULAR, COMO FAZER UMA REDAÇÃO PARA O ENEM, REDAÇÃO SOBRE EDUCAÇÃO, INCLUSÃO SOCIAL



INCLUSÃO E APRENDIZADO


Decisivo para melhorar a inclusão e a permanência na escola dos filhos de seus beneficiários, o programa Bolsa Família continua devendo mecanismos capazes de demonstrar claramente, 10 anos depois de sua implantação, resultados concretos sob o ponto de vista da qualidade do ensino. A particularidade de exigir precondições dos participantes, como matricular os filhos na escola e se comprometerem com a frequência de 85% das aulas, permitiu um salto que até mesmo os críticos dessa alternativa de complementação de renda reconhecem. Falta, porém, uma avaliação técnica e mais aprofundada sobre o que vem ocorrendo sob o ponto de vista do aprendizado em si e da qualidade do ensino dos contemplados pela iniciativa. Afinal, nada menos de 50 milhões de brasileiros, mais do que a população da Argentina e do Uruguai somadas, recebem o Bolsa Família.

Na falta de estudos concretos que possam ir um pouco além de casos bem-sucedidos tomados como exemplo, incluindo brasileiros para os quais o ingresso na universidade seria impensável até há alguns anos, o jornal Valor Econômico analisou 26 cidades de todos os Estados, entre mais de 2 mil consideradas prioritárias pelo Ministério da Educação. Uma das conclusões, até certo ponto previsível, foi a de uma melhora generalizada nos indicadores de aprovação e de distorção idade-série, o que já é suficiente para reafirmar a importância do programa. Sob o ponto de vista da avaliação do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) entre 2005 e 2011, porém, o resultado é bem menos animador. O principal instrumento de aferição da qualidade do ensino no país mostra a dificuldade de serem alcançadas as metas ou mesmo uma piora na maioria dos municípios analisados. É o que ocorre inclusive nas duas cidades sulinas incluídas na mostra, Redentora, no Rio Grande do Sul, e Entre Rios, em Santa Catarina.

Certamente, o impacto de programas como o Bolsa Família não se dá apenas sobre o ensino, pois se estende a diferentes áreas, a começar por um inevitável aumento da cidadania. Mas, por sua importância para o país e pelos elevados montantes de recursos orçamentários que mobiliza, os resultados não podem ser avaliados apenas pelas propagandas oficiais.

No caso específico do ensino, o trabalho seria facilitado pelo fato de o governo federal já contar hoje com dados de 75 mil escolas públicas do país, de um total de 200 mil, nas quais a maioria dos alunos se beneficia do programa. O país, porém, não pode se contentar com quantidade: precisa dispor de instrumentos eficazes para aferir também a qualidade da educação dos beneficiários do Bolsa Família.

Fim


Fonte: http://wp.clicrbs.com.br/opiniaozh/?topo=13,1,1,,,13

Voltar ao Índice

Redação dissertativa N/S-1067: Tema: inclusão social e educação.Tópicos: redação dissertativa pronta sobre qualidade do ensino, permanência na escola, bolsa família, redação dissertativa, escola, sala de aula, complementação de renda, como fazer uma redação para o vestibular, avaliação de aprendizado, estudos regulares, como fazer uma redação para o enem, brasileiro, ingresso na universidade, redação sobre educação, ndice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), redação sobre inclusão social, recursos orçamentários para a educação, escola pública, redação sobre cidadania, qualidade da educação.

Qualquer texto, publicado nesta seção, visa a, tão-somente, servir de modelo de redação dissertativa para alunos, pessoas que se preparam a um vestibular ou concurso, ou mesmo para aquelas cujo objetivo é o seu deleite e aprendizagem da arte de redigir. Portanto, os temas não se evidenciam pela cronologia, mas sim como paradigmas de exposição de ideias e opiniões. Assim, uma redação dissertativa, que se refere a um assunto desatualizado, pode ser um excelente exemplo para se redigir sobre o respectivo tema mesmo em outra época.